1992 –

Biografia

Natural de Pontal, São Paulo, estudou gravura com Lívio Abramo e pintura com Domênico Lazzarini. Em 1950 formou-se em artes plasticas pela Escola de Belas Artes de Araraquara. Ao mudar-se para São Paulo, praticou até 1952 uma pintura de conotação figurativo-expressionista, abandonando em 1953 a representação das formas naturais por um Abstracionismo ainda expressionista, para já no ano seguinte, e até 1958, adotar uma linguagem construtivista, dentro dos postulados do Concretismo. Regendo todo o ser trabalho pelo rigor matemático, entrega-se igualmente a experimentações com materiais inusuais – alfinetes, tachinhas, dobradiças, etc., os quais, aplicados sobre a superfície bidimensional, nela geravam ritmos e ilusões óticas controladas. Num depoimento em 1960, Judith Lauand assim se externou sobre seu próprio trabalho de então: “Um quadro não se explica. Um quadro se vê.”

Judith Lauand
Judith Lauand
Paisagem de Araraquara - tapeçaria – medindo 45x43cm.- assinado e datado no canto inferior direito. (Obra reproduzida no catálogo do Inst. de Arte Contemporânea).